segunda-feira, 25 de abril de 2011

AMANTE

O que te faz mulher
Será o eu (penetrando em vós)
Ou o eco profundo
do ser perfeito
Serás encanto no clarão
Ou então mulher serás o nada
serás a flor
Esperança do adolescente
Ou engano no caminhar escuro
És mulher com encantos
Ninguém por certo serás
Só, entre o eu ( e vós)
estará o infinito
E no entanto, mulher
Serás de ninguém
Sorris, como sorris
E o céu toda estrela
Te espera
Verás o sol moreno
como verás a todos
E amada no espaço
Serás molhada na areia fria
Do amanhecer na praia
serás o brilho
Que ofusca o horizonte
Nas manhãs perdidas
Ou orvalho
Vertendo em rios as lágrimas
Que borram o rosto moreno
Serás a flor
Esperança do adolescente.

PERGUNTAS

No amanhecer
Perguntas estranhas
Estranham
Meu pensamento
Procuram respostas
Expostas
Supostas;
Meias verdades
Invadem todo meu ser
Procuro entender
Sem sofrer
Repreender
Qua faço no acaso
Se nâo houver saída
Partida
Doída
Me perco no estranho
Mergulho no banho
Profundo
Imundo do mundo
Faço o que faço
Sempre haverá outro passo
Pois, respostas supostas
Sempre serão:
Meias verdades.

Sem você

Na penumbra
Do meu quarto
Um desabafo
E a vontade
De chorar
Nos vais e vens
Dos pensamentos
A imagem viva
O sentimento
Do amor
Olhar distante
Amada, amante
Um ser não ser
Um não poder
Ficar
Vira saudade
No peito ardente
A chama apaga
E ficam chagas
a corroer....